sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Razão para pintar

Hoje passados 10 anos,descobrí que pinto para fugir da solidão.
Pinto para fugir do medo do mundo.
Pinto para não ficar pensando na vida.
Pinto para decidir algo imediatamente.
A  pintura dá uma liberdade de escolher cores, formas e contrastes. E não dependo de ninguem para fazer estas escolhas.
O que é o medo do mundo?
O medo do mundo aparece quando a gente é  profundamente lúcido.
Sou atenta a todos os perigos.Sou muito protegida pelos deuses.
A força da  água e do fogo me aterrorizam.
A  complexidade do nosso  cérebro é um acontecimento  divino e me assusta de tão divino que é.
Me assusta, saber que  o meu eu físico  e mental, dependem do bom funcionamento de todas as milhares  de conexões  elétricas que existem dentro do  meu cérebro.Com ele, organizo os meus  momentos e dirijo a minha vida.
Com  ele, decido as minhas prioridades e escolho os meus caminhos.
Só a velhice destas conexões elétricas me aterroriza.
Tenho um panico de um dia depender da vontade de outras pessoas para continuar  à existir.
Enquanto isto não acontece vou pintando a vida com muitas  cores.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

mais trabalhos antigos

Hoje eu encontrei uma serie  de fotos  de trabalhos de cinco ou seis anos atras. São trabalhos que pretendo revisitar.




quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Para entrar em contato

Para entrar em contato com  Maria Regina voce pode mandar um email para  mariareginatoledopiza@gmail.com ou pelos telefones 55 21 2522-3433 ou 2513-3009 e pelo celular 9127-5753

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Porquê pinto?

Hoje passados dez anos, descobri que pinto para fugir da solidão;
Pinto para fugir do medo do mundo.
Pinto para não ficar pensando na vida.
Pinto para decidir algo imediatamente.
A pintura dá uma liberdade de escolher cores, formas e contrastes. E não dependo de niguém para fazer essas escolhas.
O que é o medo do mundo?
O medo do mundo aparece, quando a gente é profundamente lúcido.
Sou atenta a todos os perigos. Sou muito protegida pelos deuses, porque já me livrei de vários acidentes.
A força da água e do fogo me  aterrorizam.
A complexidade de nosso cérebro é um acontecimento  divino e me assusta de tão divino que é.
Me assusta, saber que o meu EU físico e mental, dependem do bom funcionamento de todas as milhares de conexões elétricas que existem dentro do meu cérebro.
Com ele organizo os meus momentos e dirijo a minha vida.
Com ele decido as minhas prioridades e escolho os meus caminhos.
Só a velhice  dessas conexões elétricas me aterroriza.
Tem um medo/pânico de um dia depender da vontade de outras pessoas para continuar a existir.
Enquanto isto não acontece vou pintando a vida com muitas  cores.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Trabalhos do mês de abril




Resolvi brincar com as formas  e o resultado foi este. Sou uma apaixonada pelos contrastes.O primeiro quadro chama-se Brincando com as cores e o quadro de fundo branco chama-se Imagens do Inconsciente.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Eu pintando

Eu pintando no começo da minha carreira, engatinhando, brigando com os pinceis!!!!!!




quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Meus trabalhos mais recentes

Estas fotos  sâo dos meus trabalhos que estavam  expostos  no Santa Teresa de  Portas Abertas ediçâo 2010.








quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Meu primeiro ateliê em Santa Teresa

Estas são fotos do meu primeiro ateliê em Santa Teresa.Foram tiradas em 2006 durante o evento Arte de Portas Abertas. Fotos tiradas por Dani Barcellos .


quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Apresentação

Meu nome é Maria Regina Toledo Piza, sou artista plástica, carioquíssima, nasci no Rio de Janeiro em maio de 1940.
Há dez anos comecei a pintar. Vivi trinta anos fora do Rio de Janeiro e quando voltei para ficar, a emoção foi tão grande, que no dia em que cheguei, escrevi este poema:

Os gritos do bem-te-vi, anunciam a minha chegada,
Só quem foi  sente o que  é voltar.
Os olhos se enchem de lágrimas,
O sol invade o quarto,
As paredes cantam,
O corpo estremece sentindo o chão,
A lua sorri,
As saudades se vão,
O mar revolto e o barulho das ondas fazem uma saudação.
O coração explode de alegria.